Você está em Ajuda > Dicionário

Dicionário de Filosofia

Disciplina
1 - Uma ciência, enquanto objeto de aprendizado ou de ensino. 2 - Função negativa ou coercitiva de uma regra ou de um conjunto de regras, que impede a transgressão à regra.
 

Disjunção
Na Lógica escolástica, é uma proposição hipotética formada por duas categorias unidas pelo sinal "vel". Na Lógica contemporânea, é uma proposição molecular formada por duas ou mais proposições atômicas unidas pelo sinal "v" ("pvq"). Em ambas as Lógicas, a condição necessária e suficiente para a verdade de uma Disjunção é que pelo menos uma das duas proposições componentes seja verdadeira.
 

Disjuntivo
É o enunciado que contém uma alternativa, tanto em sentido inclusivo, como por exemplo: uma estrada ou outra conduz a Roma. Quanto em sentido exclusivo, como por exemplo: ou é noite ou é dia.
 

Disposição
1 - Distribuição das partes em um todo, devida à ordem do todo. 2 - Tendência, inclinação ou atitude. Nesse sentido, essa palavra foi entendida também por Aristóteles
 

Disteleologia
Termo criado pelo biólogo materialista Ernesto Haeckel para indicar a parte da biologia que estuda os fatos biológicos (monstruosidade, abortos, atrofias, etc.) que contradizem a existência de uma finalidade na formação dos organismos vivos.
 

Distração
Condição em que a atenção é distanciada das ideias ou das ocupações dominantes e voltada para outras coisas. Kant notou que é fraqueza, mais do que força do espírito, não poder separar-se de alguma coisa a que se deu grande atenção durante muito tempo: fraqueza que, se habitual e voltada para o mesmo objeto, pode degenerar em loucura. Portanto, a Distração, como divertimento do espírito, é condição da saúde mental. Por outro lado, a distração constante confere ao homem a aparência de sonhador e o torna inútil à sociedade.
 

Diversidade
Toda alteridade, diferença ou dessemelhança. A Diversidade é mais genérica que os três termos acima e pode indicar qualquer um deles ou todos juntos. Pode também indicar a simples distinção numérica quando duas coisas não diferem em nada, exceto por serem numericamente distintas. Nesse sentido, a Diversidade é a negação pura e simples da identidade; Wolff a definia dizendo que são diversas as coisas que não podem ser substituídas uma pela outra, permanecendo constantes os predicados que se atribuem a uma delas, seja absolutamente, seja em dada condição.
 

Divertimento
Qualquer atividade que afaste o homem das ocupações ou preocupações habituais. Pascal entendeu o Divertimento como o meio de que o homem dispõe para escapar à consciência de sua própria miséria, e portanto também incluiu no Divertimento os trabalhos e as ocupações habituais. Como não puderam curar a morte, a miséria, a ignorância, os homens julgaram que, para serem felizes, melhor seria não pensar nelas.
 

Divisibilidade
Para Aristóteles é a propriedade de um todo, de poder ser decomposto em suas partes; se o todo é contínuo, essas partes são, por sua vez, divisíveis. Segundo Kant, uma das antinomias cosmológicas consiste em julgar possível e impossível a divisão ao infinito, portanto impossível e possível a existência de partes simples, ou seja, indivisíveis. Segundo ele, a antinomia resolve-se reconhecendo que, embora o todo possa ser dado à intuição, o mesmo não ocorre com a divisão inteira, que consiste só na decomposição progressiva ou no retrocesso.
 

Donatismo
Doutrina de Donato de Casas Negras (século III), que foi um dos alvos da polêmica de Agostinho de Hipona. Essa doutrina afirmava a absoluta intransigência da Igreja diante do Estado. Como comunidade de perfeitos, a Igreja não deve ter contato com a autoridade civil; as autoridades religiosas que toleram tais contatos cometem traição e perdem a capacidade de administrar os sacramentos.
 

   

 
 
Como referenciar: "Dicionário - D" em Só Filosofia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2021. Consultado em 18/10/2021 às 21:02. Disponível na Internet em http://filosofia.com.br/vi_dic.php?pg=4&palvr=D