Você está em Material de apoio > História da Filosofia

Bernardino Telésio (1509 - 1588)

               Telésio discorda das teorias aristotélicas e acusa o filósofo grego de ser contraditório com as suas próprias teorias e com as verdades da Sagrada Escritura. É melhor seguir a experiência da natureza do que seguir a filosofia aristotélica. Para organizar a experiência que temos da natureza Telésio divide-a em três princípios físicos, os dois primeiros princípios são o frio e o calor e ambos são princípios ativos. O terceiro princípio é a matéria e é passiva, pois sofre a ação dos dois primeiros. O frio e o calor são princípios contrários entre si e em seus movimentos eles modificam a matéria. O calor dilata e o frio agrega e junta a matéria e é esse dilatar ou agregar que determina a mudança da matéria. O calor na natureza representa o movimento, pois o que se move é quente e o frio representa a estagnação. Tanto o calor como o frio são imateriais e precisam da matéria à qual vão se ligar, é através da qualidade e da quantidade dessa ligação que vão surgir novas matérias modificando as antigas.

                O frio e o calor são contrários e tentam se evitar reciprocamente. O calor representa a vida e qualquer corpo que tenha um mínimo de calor é animado.

                Bernardino defende ainda em seus estudos físicos de que é possível sim existir o espaço vazio, pois o espaço é algo que tem a capacidade de conter corpos e que pode existir mesmo que os corpos não existam. Acredita ainda que o conhecimento da natureza deve fundamentar-se nos estudos dos princípios naturais e não sobre considerações metafísicas. A natureza é independente e segue regras próprias que não são as regras metafísicas.

                Nosso espírito está situado no cérebro, mas se irradia por todo o corpo. O espírito é também flexível, frágil e discreto e os princípios ativos – frio e calor – interferem nele e podem transformá-lo, quando o espírito se transforma toda a pessoa se transforma, pois o espírito age sobre todo corpo. É por isso que as pessoas modificam. O espírito é sensível e percebe as mudanças através da expansão e contração da matéria causada pelo calor ou pelo frio.

                O espírito também tem memória e através dela ele consegue formular princípios universais tentando através do conhecimento das partes, conhecer o todo.

                A Ética de Telésio fundamenta-se na conservação física da pessoa. É ético todo julgamento que permite o homem se conservar vivo, mal tudo que vai contra essa conservação. Assim o bem é o prazer e o mal a dor. O sábio é aquele que não busca somente o prazer imediato ou foge do mal momentâneo, mas aquele que utilizando a lembrança em experiências passadas faz escolhas que levam à conservação do seu espírito. Conservar a si mesmo e ao seu espírito é o fim último para o homem e é nele que está a virtude.

 

Sentença:

- No homem a substância que sente é a mesma que raciocina.


Bernardino Telésio



Responsável: Arildo Luiz Marconatto

Como referenciar: "Bernardino Telésio (1509 - 1588)" em Só Filosofia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2021. Consultado em 02/08/2021 às 08:15. Disponível na Internet em http://filosofia.com.br/historia_show.php?id=64