Biblioteca Virtual
 Biografia de Filósofos
 História da Filosofia
 Laifis de Filosofia

 Eventos
 Resenhas
 Livros
 Entrevistas

 Oráculo
 Dicionário de Filosofia
 Vídeos de Filosofia
 Rádio Filosofia
 Como estudar Filosofia
 Dicas para Monografia
 Filos. e Outras Áreas
 Filos. na Sala de Aula

 Exercícios Comentados
 Jogos On-line
 Provas de Concursos

 Curso de Filosofia

 Curiosidades Filosóficas
 Escolas de Filosofia
 Filosofia Clínica
 Histórias Filosóficas
 Relato do Leitor
 Frase de um Leitor
 Charges
 Fil. para Crianças
 Lançamento de Livros
 Livros para Download
 Frase de Filósofos
 Uma Foto, uma História
 Trechos de Livros
 Enquetes
 Cursos de Extensão
 Fale Conosco

 

 

Provas de Concursos e do Vestibular

 
(28/Mar) Vacaria - RS - Fundatec - 2016
 
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

QUESTÃO 31 - Desde a introdução da Filosofia no Ensino Médio, a partir da aprovação da Lei nº 11.684, que mudou a redação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/1996), diversos documentos que oferecem orientações concernentes ao ensino de Filosofia foram produzidos pelo Ministério da Educação. Entre eles, estão as Orientações Curriculares para o Ensino Médio (OCEM) publicadas em 2006. Com base nas orientações sugeridas nesse referencial para o ensino de Filosofia, é correto afirmar que:
A) Articula-se em torno da história da filosofia.
B) Não deve constituir-se como disciplina específica.
C) Não possui conteúdos específicos.
D) Articula-se em torno de três eixos temáticos: filosofia da religião, lógica e ética.
E) Aborda temáticas estanques, sem margem para a escolha do professor.

QUESTÃO 32 - As Orientações Curriculares para o Ensino Médio, em diálogo com as Diretrizes Curriculares para os cursos de Graduação em Filosofia e com as Diretrizes do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE), propõem um conjunto de competências e habilidades requeridas para o professor de Filosofia no Ensino Médio. Com base nesse conjunto de competências e habilidades, assinale a alternativa INCORRETA quanto ao que é requerido do professor de Filosofia.
A) Capacitação para um modo especificamente filosófico de formular e propor soluções a problemas, nos diversos campos do conhecimento.
B) Capacidade de desenvolver uma consciência crítica sobre conhecimento, razão e realidade sócio-histórica-política.
C) Capacidade para análise, interpretação e comentário de textos teóricos, segundo os mais rigorosos procedimentos de técnica hermenêutica.
D) Compreensão da importância das questões acerca do sentido e da significação da própria existência e das produções culturais.
E) Capacitação nos conhecimentos específicos do conjunto das disciplinas que compõem a área de Ciências Humanas.

QUESTÃO 33 - Certos tipos característicos de falhas ou erros de argumentação são tradicionalmente classificados sob a denominação de falácias. Alegar que um argumento contém uma falácia é uma crítica forte, pois significa que ele se baseia em uma falha fundamental de raciocínio, podendo ser refutado. Leia o texto a seguir e identifique o tipo de falácia que pode estar envolvido nessa argumentação.
Bob e Wilma estão discutindo o problema da chuva ácida. Wilma argumenta que as notícias sobre a extensão do problema são muito exageradas e que os custos de qualquer medida preventiva são proibitivos. Bob observa que Wilma faz parte da diretoria de uma companhia americana de carvão e que, portanto, seu argumento não deve ser aceito pelo que aparenta. (WALTON, 2012).
No texto acima, a tentativa de Bob de refutar o argumento de Wilma pode ser caracterizada como um caso de:
A) Argumentação circular.
B) Petição de princípio.
C) Ataque ad hominem.
D) Apelo à emoção.
E) Modus ponens.

QUESTÃO 34 - "É difícil encontrar uma base comum para o fenômeno moral diante de perspectivas tão distintas sobre a natureza do comportamento moral. Mesmo assim, um ponto aceito por todos parece ser o que se pode chamar de "traço altruísta", pois todo ato moral contém uma referência a ele, quer tal ato satisfaça as condições de universalidade e imparcialidade, quer seja fundamentalmente marcado pelo tempo, pela história e pelo grupo humano que o reconhece como tal". (ZINGANO, 2013). Entende-se por altruísmo um ato ou juízo que
A) está centrado na cultura na qual o agente está inserido.
B) leva em conta os interesses e perspectivas do outro como tal.
C) parte de um cálculo das consequências do ato sobre todos os envolvidos.
D) segue os imperativos categóricos da razão prática.
E) fundamenta-se nos interesses do agente.

QUESTÃO 35 - Como muitos outros filósofos, Kant pensava que a moralidade pode resumir-se num princípio fundamental, a partir do qual se derivam todos os nossos deveres e obrigações. Chamou a este princípio __________________. Na Fundamentação da Metafísica dos Costumes (1785), exprimiu-o desta forma: Age apenas segundo aquela máxima que possas ao mesmo tempo desejar que se torne lei universal. (RACHELS, 2013). Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna do trecho acima.
A) imperativo hipotético
B) imperativo categórico
C) supremo
D) regra de ouro
E) da maximização da felicidade

QUESTÃO 36 - Leia o texto a seguir de Renè Descartes:
"...tudo o que acreditei sentir enquanto estou acordado também posso algumas vezes acreditar que sinto, quando durmo; e como não acredito que chegue até mim por meio de coisas situadas fora de mim aquilo que me parece sentir durante o sono, não via porque tinha de acreditá-lo das coisas que me parece sentir enquanto estou acordado."
A respeito desse célebre argumento cartesiano, é correto afirmar que:
A) Coloca em dúvida a existência do mundo exterior.
B) Afirma a existência do Eu.
C) Pressupõe a existência das substâncias primeiras.
D) Prova a substancialidade do mundo fenomênico.
E) É um argumento a posteriori.

QUESTÃO 37 - A filosofia do período helenístico tem conhecido uma profusão de estudos recentes que rejeitam a ideia de que os únicos pontos altos da filosofia grega foram Platão e Aristóteles. Nesse período, surgiram diversas escolas filosóficas. Em relação ao período helenista, leia o texto seguir: "_________ defendia uma vida de prazeres simples, mas não simplistas; era ____________ e atomista; e procurava mostrar que a ansiedade torna as pessoas miseráveis, não havendo razões para cair nessa armadilha. Hoje em dia, a nova "psicologia positiva", que procura determinar como se pode viver feliz, defende ideias semelhantes - mas hoje é preciso chamar-lhe "a ciência da felicidade", para lhe dar um ar sério. Na "Carta a Meneceu", o autor defende que a morte não deve provocar- nos ansiedade precisamente porque depois de mortos nós não existimos e enquanto estivermos vivos, não estamos mortos". (MURCHO, 2003).
Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas do trecho acima.
A) Epicuro - cínico
B) Epicteto - hedonista
C) Epicteto - materialista
D) Epicuro - materialista
E) Diógenes - hedonista

QUESTÃO 38 - No livro Genealogia da Moral, de Friedrich Nietzsche, mais especificamente, na primeira das três dissertações que compõem o livro, duas morais, ou dois modos de valoração, são ali postas em evidência: a moral nobre e a moral dos escravos, ou, como Nietzsche mesmo chamou no título, "bom e mau", "bom e ruim". De acordo com essa distinção, é correto afirmar que a moral dos escravos, de acordo com o referido autor, é baseada
A) na afirmação dos valores vitais.
B) em princípios universais.
C) na igualdade entre os homens.
D) nos valores culturais de uma época.
E) no ressentimento.

QUESTÃO 39 - Uma questão que muito preocupou os filósofos políticos dos séculos XVII e XVIII foi a de encontrar uma justificação racional - dedutiva - para a existência do Estado. O problema apresenta-se do seguinte modo: o homem possui uma natureza própria que lhe garante a liberdade e a igualdade, como explicar a existência dos Estados e como legitimar o poder destes? E, se à partida, todos são naturalmente livres e iguais, como justificar o dever de obediência ao Estado por parte de qualquer indivíduo? A ideia central contida nas respostas a essas perguntas é a de que, sendo o estado natural uma situação que promove a instabilidade e a insegurança, os indivíduos teriam concordado em associar-se e em constituir um Estado, cedendo a este último certos poderes. A condição desta cedência era que os governantes utilizassem esse poder para garantir a segurança de todos. E, assim, os indivíduos comprometer-se-iam a acatar as deliberações do Estado. Analise as seguintes assertivas sobre a teoria política implícita nesse argumento:
I. Encontra o fundamento da política em algo anterior à política, no direito divino.
II. A finalidade da política é promover a maximização do bem comum e a justiça.
III. Trata-se de uma teoria contratualista.
IV. Thomas Hobbes e Jean-Jacques Rousseau são dois pensadores que utilizam variantes dessa teoria política.
Quais estão corretas?
A) Apenas I e II.
B) Apenas I e IV.
C) Apenas III e IV.
D) Apenas I, III e IV.
E) Apenas II, III e IV.

QUESTÃO 40 - Ao longo da história da filosofia, um dos problemas centrais da estética foi definir o que é arte. Relativamente às definições essencialistas de arte - definições que propõem que existem propriedades essenciais comuns a todas as obras de arte - relacione a Coluna 1 à Coluna 2.

Coluna 1
1. Teoria da arte como imitação.
2. Teoria da arte como expressão.
3. Teoria da arte como forma significante.

Coluna 2
( ) Oferece um critério de valoração das obras de arte que nos possibilita distinguir facilmente as boas das más obras de arte. Nesse sentido, uma obra de arte seria tão boa quanto mais se conseguisse aproximar do objeto representado.
( ) Não considera como sendo objetos artísticos aqueles que não representam nada ou não são figurativos.
( ) Deslocava para as emoções do artista, ou criador, a chave da compreensão da arte.
( ) Costuma exprimir-se com frases como "Este quadro é uma verdadeira obra-prima devido à excepcional harmonia das cores e ao equilíbrio da composição", ou como "Aquele livro é excelente porque está muito bem escrito e apresenta uma história bem construída apoiada em personagens convincentes e bem caracterizadas".
( ) Uma teoria como esta manifesta-se frequentemente em juízos como "Este é um livro exemplar em que o autor nos transmite o seu desespero perante uma vida sem sentido" ou como "O autor do filme filma magistralmente os seus próprios traumas e obsessões".
A ordem correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:
A) 1 - 1 - 2 - 3 - 2.
B) 2 - 3 - 3 - 1 - 2.
C) 1 - 3 - 2 - 1 - 2.
D) 3 - 2 - 1 - 2 - 3.
E) 3 - 1 - 2 - 3 - 2.

GABARITO:
31 A
32 E
33 C
34 B
35 B
36 A
37 D
38 E
39 C
40 A
     

 
 
Sites parceiros:

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Fale conosco

Copyright © 2008-2017 Só Filosofia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.