Biblioteca Virtual
 Biografia de Filósofos
 História da Filosofia
 Laifis de Filosofia

 Eventos
 Resenhas
 Livros
 Entrevistas

 Oráculo
 Dicionário de Filosofia
 Vídeos de Filosofia
 Rádio Filosofia
 Como estudar Filosofia
 Dicas para Monografia
 Filos. e Outras Áreas
 Filos. na Sala de Aula

 Exercícios Comentados
 Jogos On-line
 Provas de Concursos

 Curso de Filosofia

 Curiosidades Filosóficas
 Escolas de Filosofia
 Filosofia Clínica
 Histórias Filosóficas
 Relato do Leitor
 Frase de um Leitor
 Charges
 Fil. para Crianças
 Lançamento de Livros
 Livros para Download
 Frase de Filósofos
 Uma Foto, uma História
 Trechos de Livros
 Enquetes
 Cursos de Extensão
 Fale Conosco

 

 

Livro da semana

(14/Fev) Apesar de Vocês, de James Green
James Green é um brasilianista, um historiador de família Quaker cuja trajetória pessoal está ligada a lutas contra injustiças. Foi assim que se revoltou e protestou contra as atividades no Vietnã. A maneira como nos conta o que aconteceu no Brasil no golpe de 1964 traz um forte elemento de interpretação pessoal. Isso não desmerece a obra do historiador, isso somente faz aprofundar a discussão do que houve a partir das várias narrativas e de seus pressupostos. Green é plantado na esquerda e é de lá que vai narrar o que houve. Os EUA apoiaram o golpe de 1964, é bem sabido, arregimentaram forças que nem foram utilizadas, pois Goulart reconhecidamente foi todo débil em suas preparações de defesa. De qualquer modo, a partir do estudo de Green, temos que se o governo e a imprensa dos EUA simpatizavam com as semelhanças, alguns pensadores evidenciaram desconfiança, denunciaram o que os militares colocavam em marcha. Os argumentos e os dados trazidos pelo historiador são consistentes, o maniqueísmo da visão de mundo deixa claro quem são os bandidos, os militares, e os mocinhos, a esquerda. A responsabilidade dos EUA é pesada em tudo isso e praticamente decisiva. Não é exagero creditar a Elio Gaspari uma parte importante da obra, uma vez que ele é o alicerce de dezenas e dezenas de páginas. Green traz mais uma obra que reafirma o pensamento corrente no mundo acadêmico atualmente sobre o que aconteceu em 1964. O episódio foi algo a se lamentar, é evidente, mas ainda algum tempo e novos historiadores, distantes epitelialmente da questão, serão necessário para que se trate do assunto de modo menos cardíaco. Há outras maneiras de se contar esta história na qual bandidos e mocinhos, mais de uma vez, trocarão de lugar.
 

 
 

Entrevistas

Novidades

 


Receber
Parar de receber

Livros

Gostou do site?

Seu nome:

Nome do seu amigo:

E-mail do seu amigo:

Sites parceiros:

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Fale conosco

Copyright © 2008-2017 Só Filosofia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.