Você está em Ajuda > Filosofia para crianças

Filosofia para crianças

FILOSOFIA PARA CRIANÇAS E FILOSOFIA CLÍNICA: A relação entre Comunidade de Investigação e Procedimento Filosófico Clínico.
Ao trabalhar com filosofia em sala de aula, utilizando o pressuposto pedagógico Lipmaniano, constatamos certas mudanças comportamentais por parte das crianças desde o primeiro contato com a nova metodologia. Podemos citar a aproximação física, frequência da expressividade, maior contato auditivo e visual de uns com os outros durante a comunidade investigativa.

A partir do contato com o método filosófico clínico é que aprendemos a observar com mais clareza e respeitarmos a singularidade dos alunos, buscando conhecer cada Estrutura de Pensamento ou do grupo, nos interessando pelas historicidades contadas pelos pais e coordenadores pedagógicos que conhecem as crianças.

Então, passamos a observar as didáticas aplicadas em Filosofia para Crianças e seu pressuposto pedagógico, com outras perspectivas, comparando-as por semelhanças aos procedimentos aplicados em Filosofia Clínica e evidenciamos as seguintes relações:

1º Em Filosofia clínica e no programa de Filosofia para crianças não há tipologia;

2º Evitar imposições e rótulos;

3º O filósofo clínico e o professor em comunidade de investigação usam agendamento mínimo( quer dizer que estes profissionais ouvem com atenção e falam o mínimo para não interferir ou direcionar a fala da pessoa que partilha);

4º Existe aproximação entre as pessoas a partir da redistribuição dos móveis no ambiente;

5º O partilhante e o aluno são respectivamente participantes ativos no processo de trabalho.

6º O Professor e o Filósofo clínico sabem que nada sabem de tudo que sabem e não dão respostas prontas (Livre Adaptação. Aiub, Mônica);

7º Todos são investigadores em sala de aula e no consultório clínico;

8º Trabalham com princípio dialógico via interseção;

9º Elaborar regras por combinados;

10º Compartilhar experiência, pesquisa, conhecimento, descoberta;

11º Fazer autocorreção e reconhecer a falibilidade;

12º converter a competitividade em cooperatividade;

13º Avaliação Diferenciada, respeitando a singularidade, potencializando a capacidade progressiva de produção intelectual.

A relação entre Filosofia para Crianças e Filosofia Clínica transcende as características teórico-práticas, pois pode abranger âmbitos procedimentais,atitunais e, portanto, ético.
 
       

 
 
Como referenciar: "FILOSOFIA PARA CRIANÇAS E FILOSOFIA CLÍNICA: A relação entre Comunidade de Investigação e Procedimento Filosófico Clínico." em Só Filosofia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2019. Consultado em 14/11/2019 às 01:31. Disponível na Internet em http://filosofia.com.br/vi_criancas.php?id=10