Você está em Diversos > Imagens

Imagens filosóficas

Confúcio

Confúcio - parte XXIII
Seu sucesso e suas idéias radicais estavam atraindo inimigos perigosos. Com medo de seu poder, as três famílias que tinham o poder se uniram contra Confúcio. Elas perceberam que era um reformista perigoso. Os conspiradores esqueceram suas desavenças e arquitetaram um plano bem simples. Procuraram em suas terras as moças mais belas de todo o país e as enviaram de presente, não para Confúcio, mas para o jovem governante, o duque Ting. Foi exatamente como haviam imaginado. O duque Ting passava seus dias e noites com os seus presentes sedutores que seus inimigos tinham lhe dado. Confúcio e suas reformas foram esquecidos.
Confúcio - parte XXII
À sua maneira, Confúcio provou que como oficial do governo ele estava séculos à frente do seu tempo. “Uma outra pessoa pode julgar um crime tão bem quanto eu. O que eu quero fazer é corrigir as condições que fazem tal crime acontecer.” – pensava ele. De alguma forma, Confúcio desenvolveu uma visão do aprendizado humano como uma série de círculos concêntricos. Você começa com a pessoa depois com a família, depois com os vizinhos, com a sociedade, com a nação, com o país, com o mundo, e além.
Confúcio - parte XXI
O duque Ting fez de Confúcio governador de Lu. Finalmente Confúcio tinha o poder de colocar suas idéias em ação. Hoje, algumas reformas de Confúcio parecem estranhas para nós, tal como seu decreto de que mulheres e homens deveriam andar em lados opostos nas ruas. Mas as outras fazem sentido em nossa época, como a lei para que crianças pobres e idosos fossem alimentados às custas do Estado.
Confúcio - parte XX
Em 501 a.C., ele tinha 50 anos de idade. Parecia que nunca teria o poder que ansiava. Mas naquele mesmo ano tudo mudou. As três famílias que estavam no poder em Lu guerreavam ferozmente entre si. O duque Ting, um jovem governante de Lu aproveitou a oportunidade para recuperar a autoridade perdida de sua família. Ele pediu a Confúcio que abandonasse o ensino e se tornasse seu conselheiro. Confúcio ficou exultante. Esta poderia ser sua chance de fazer um mundo melhor e de, talvez, transformar o jovem duque Ting no salvador da China.
Confúcio - parte XIX
Qualquer um pode ser um homem superior. Só é necessário decidir ser um. Mas a decisão não é fácil. Confúcio exigia honestidade absoluta, auto-controle rigoroso e virtude inabalável de todos que o seguiam. O homem superior pensa no que é certo, o homem medíocre pensa no que é lucrativo. O homem superior exige tudo de si próprio; o homem medíocre espera tudo dos outros. O homem superior aceita seu destino calmamente; o homem medíocre apenas reclama.
Confúcio - parte XVIII
Confúcio encontrou uma senhora chorando por seu filho e seu marido. Haviam sido devorados por um tigre. Então Confúcio e seus discípulos perguntaram à mulher: - Já que há um tigre feroz por perto, por que ainda mora aqui? Por que não se muda? - Se me mudar eu posso encontrar um governo mais opressor. É por isso que eu vou ficar aqui. E foi quando Confúcio se voltou aos seus discípulos e disse: - Isso é pura verdade. Um governo opressor é muito pior que um tigre comedor de homens.
Confúcio - parte XVII
Confúcio abriu uma escola que aceitava discípulos de todas as classes sociais incluindo aqueles que não eram da nobreza. Isso foi uma medida inovadora. Ninguém tinha feito isso antes dele. Por essa razão, ele é considerado o maior mestre não apenas dentro da China, mas também em toda Ásia Oriental.
Confúco - parte XVI
O filósofo chinês divulgou ao mundo sua idéia radical. “Quando as pessoas são educadas, a distinção entre as classes desaparece”. Para Confúcio, a educação não era algo que se cultivava até certo ponto. A educação era o sentido da vida. Confúcio acreditava que as pessoas se tornam melhores através da educação. Ele não estava interessado em classe. Não estava interessado na diferença entre alguém que não tinha dinheiro e alguém que fosse muito rico. “Se os filhos de imperadores e princesas não tiverem qualidades devem ser reduzidos ao nível das pessoas comuns. Se os filhos das pessoas comuns tiverem qualidades eles devem ser elevados ao nível dos governantes”.
Confúcio - parte XV
Muitas pessoas queriam se afastar, ficar em reclusão, se tornar eremitas e tentar encontrar seu próprio equilíbrio espiritual. Sem nenhuma ligação com o mundo exterior. Confúcio disse: “Eu não posso acompanhar pássaros e animais, eu sou um ser humano ao lado de outros seres humanos”. Então ele fez a escolha de se dedicar ao mundo aqui e agora e esse tipo de engajamento fez dele um ativista.Constante nas bibliotecas de Chu Fu, Confúcio devorava história e poesia clássica estudando incansavelmente sobre o passado do país procurando pela chave do futuro da China.
Confúcio - parte XIV
Aos 19 anos Confúcio se casou. A identidade de sua esposa permanece um mistério. Até mesmo seu nome é desconhecido. Apenas sabemos que eles tiveram um menino seguido de outros filhos e que seu casamento pode ter sido muito problemático.Confúcio sustentava sua família trabalhando fielmente nos armazéns. Mas aos 30 anos estava entediado com sua vida. Ele sonhava em se tornar um grande ministro de estado em acabar com a corrupção e a violência e restaurar a paz e a justiça no país.
Confúcio - parte XIII
Mas a vida de Confúcio estava para mudar radicalmente. No século sexto antes de Cristo, a cidade de Chu Fu, onde Confúcio vivia, era a capital de Duchy de Lu, um dos muitos pequenos estados chineses que guerreavam ferozmente entre si. Uma das três famílias notórias de Lu, deu a Confúcio a tarefa de cuidar de armazéns. O primeiro emprego dele era mais importante do que parecia. Na antiga China os grãos eram usados como moeda.
Confúcio - parte XII
Ainda jovem e Confúcio media 1,90 de altura. Confúcio tinha um extraordinário brilhantismo. Mas o que valia a inteligência quando a força bruta dominava o país? A China estava mergulhada no caos e em guerras sangrentas, pois senhores da guerra impiedosos haviam tomado o poder e escravizado os homens comuns. O futuro de Confúcio parecia não ter esperança.
Confúcio - parte XI
Confúcio havia sofrido traumas que poderiam ter derrubado qualquer jovem de sua idade. Os terrores da pobreza desesperadora, a tristeza pela rejeição de todos. Mas ele transforma seus amargos desgostos em lições poderosas e inesquecíveis. Anos mais tarde, iria declarar que os atos nobres, e não berços nobres, faziam um homem honrado. E que o amor da família é um presente mais valioso que o ouro. Com a morte de sua mãe, Confúcio estava sozinho no mundo. E seu futuro parecia sem esperança nenhuma. Ele estava na miséria e órfão de pai e mãe.
Confúcio - parte X
Quando o intelecto de Confúcio aflorou a vida lhe trouxe uma grande tristeza. Sua amada mãe faleceu. Confúcio chorou amargamente pelo único ser humano que realmente o havia amado. Depois enfrentou uma terrível humilhação. Ele queria assumir a responsabilidade pelo enterro de sua mãe e, segundo os velhos costumes, seria correto se sua mãe fosse enterrada ao lado do marido, seu pai, mas sua mãe nunca lhe contou onde ele estava enterrado. Felizmente, alguns vizinhos tiveram pena dele e disseram exatamente onde seu pai estava enterrado. Aí então, ele enterrou sua mãe perto do túmulo de seu pai. Depois de cumprir sua missão Confúcio deu adeus ao espírito de sua mãe. Com a dor, se tornou mais sábio.
Confúcio - parte IX
Durante sua adolescência, seu apetite por conhecimento era voraz. Confúcio devorou incansavelmente os grandes clássicos da civilização chinesa, deliciou-se com as lições de vida contidas na história, levitou com a eloqüência dos poetas. Confúcio estava determinado a alcançar os objetivos que estabelecera para si mesmo. Ele procurava incansavelmente melhorar seu caráter. Ele disse: - "Nós nunca podemos parar de aprender. Somente depois que fecharem a tampa do caixão é que se pode dizer que se parou de aprender".

   

Como referenciar: "Confúcio - Imagens filosóficas" em Só Filosofia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2020. Consultado em 28/10/2020 às 06:35. Disponível na Internet em http://filosofia.com.br/imagens_lista.php?pg=1&categoria=Conf%C3%BAcio