Você está em Diversos > Imagens

Imagens filosóficas

Filósofo do Dia

Voltaire
Nasceu no dia 21 de novembro de 1694. Obra Principal: O Filósofo Ignorante. Pensamento: A filosofia é o espírito crítico que vai contrapor a tradição para poder diferenciar o que verdadeiro do que é falso. Defende uma religião natural baseada em uma moral natural, tolerante e que busca unir os homens espiritualmente respeitando as diferenças culturais. Se Deus não existisse teríamos que inventá-lo, pois toda natureza grita que ele existe. Defende a pesquisa científica baseada na experimentação e na busca de leis comuns que explicassem os mais diversos fenômenos naturais. Os homens selvagens são livres e os civilizados tem que ser tratados com igualdade pela lei.
Georges Palante
Nasceu em 20 de novembro de 1862. Obra principal: A sensibilidade individualista. Pensamento: Filósofo individualista e crítico da socialização imposta aos indivíduos por acreditar que ela impedia as pessoas de desenvolver todas as suas capacidades. Buscava por novas formas de relação social que não causassem constrangimento aos indivíduos.
Pekka Himanen
Nasceu no dia 19 de novembro de 1973. Obra principal: A Ética dos Hackers. Pensamento: A aprendizagem começa no encontrar um sentido, continua no fazer perguntas e termina na formulação de ideias críticas. O processo tecnológico não tem volta, pois é ele que dá competitividade à economia. A ética do hacker é antiautoritária, defende a privacidade e está focada ao individualismo. O hacker vive na mesma anarquia da ciência, onde qualquer um pode investigar qualquer coisa, e ambos tornam público o seu trabalho. Todo desenvolvimento deve estar focado na dignidade.
Pierre Bayle
Nasceu no dia 18 de novembro de 1647. Obra principal: Dicionário Histórico e Crítico. Pensamento: Acreditava que a vida moral não depende dos princípios religiosos, pois é possível viver de um modo honesto e virtuoso seguindo a razão e o bom senso. O bem e o mal não são prerrogativas da fé ou de uma filosofia. Existe discrepância entre o que os humanos dizem e o que fazem. São as paixões que dominam os homens e não a razão.
Jean d’Alembert
Nasceu no dia 16 de novembro de 1717. Obra principal: Ensaio Sobre os Elementos de Filosofia. Pensamento: Nossa razão não deve se separar dos acontecimentos. A ciência e a filosofia devem se ater aos fatos e às conclusões que deles podemos tirar, um argumento que não for deduzido dos eventos a que se relaciona não é um argumento válido. Nosso conhecimento tem origem nas ideias, que por sua vez se originam das sensações e isso é constatado pela nossa experiência de vida. Os filósofos que buscam argumentos em hipóteses metafísicas perdem seu tempo.
Léon Brunschvicg
Nasceu no dia 10 de novembro de 1869. Obra principal: A Modalidade do Juízo. Pensamento: Desenvolveu o que ele chamou de Método Reflexivo, um posicionamento filosófico definido como idealismo crítico. Acreditava que o espírito se expressa nas verdades científicas, filosofia e ciência devem andar juntas nas interpretações do mundo. O juízo é a nossa capacidade de julgar o mundo, e a reflexão científica é a melhor forma de demonstrar a nossa consciência intelectual. O juízo é um ato único, não vem depois do conceito nem antes do raciocínio.
Imre Lakatos
Nasceu no dia 9 de novembro de 1922. Obra Principal: Provas e Refutações. Pensamento: As teorias científicas são formadas por um grupo de teorias com poucas diferenças entre elas, mas tem em comum alguns princípios que ele denominou núcleo. O que diferencia as teorias não é o núcleo, mas os programas de pesquisa de cada grupo de pesquisadores. Os programas de pesquisas científicas são progressivos ou degenerativos, os progressivos crescem e fazem novas descobertas, os degenerativos não crescem e multiplicam as hipóteses que não levam a novos fatos.
Charles Taylor
Nasceu no dia 5 de novembro de 1931. Obra principal: A Ética da Autenticidade. Pensamento: Regras não são seguidas porque são interpretadas, mas porque são incorporadas como tendências, hábitos e disposições. A modernidade aumentou o individualismo por não ter mais uma estrutura sagrada, e por definir como meta de vida o bem estar e a felicidade. A sociedade deixou de ser temente a Deus e a fé representa hoje uma entre as muitas possibilidades humanas. As instituições sociais são importantes para a identidade individual, pois é na sociedade que as escolhas individuais ganham significado e importância.
George Edward Moore
Nasceu no dia 4 de novembro de 1873. Obra Principal: Principia Ethica. Pensamento: Buscou o entendimento profundo e simples de conceitos e proposições difíceis em filosofia, como o conceito tempo, que ele acreditava ser algo real. Pensava que a experiência é o resultado do conhecimento do mundo externo, que existe independente da nossa mente. Sobre ética acreditava que o conceito de bem é indefinível e impossível de ser analisado em situações concretas. Aprendemos o que é certo ou errado através de uma intuição moral. Os conceitos de direito e dever são relacionados com a capacidade de produzir o bem.
Étienne de La Boétie
Nasceu no dia 1º de novembro de 1530. Obra Principal: Discurso sobre a Servidão Voluntária. Pensamento: Em seu principal livro ele busca a causa de poucos dominarem muitos, se mostra ainda indignado com a opressão desses poucos. O hábito, a religião e a superstição são as causas dos homens servirem voluntariamente um só homem. Mas além disso a causa da dominação é a pirâmide do poder: um domina seis que dominam seiscentos que dominam seis mil que dominam todo o resto. A servidão voluntária é a perda do desejo de liberdade.
José Ferrater Mora
Nasceu no dia 30 de outubro de 1912. Obra principal: A Filosofia Analítica: Mudança de Sentido Em Filosofia. Pensamento: Criou o método integracionista com o qual pretendia integrar sistemas de pensamentos opostos como natureza e razão. Para ele os sistemas não se opõem uns contra os outros, mas são tendências e direções de interpretação da realidade e desta forma podem ter relações uns com outros. As estruturas não se reduzem aos elementos que as compõe, pois após montadas elas adquirem novas propriedades e funções. Continuamente as estrutura se converte em elemento para uma nova estrutura e este processo vai da matéria à razão.
Erasmo de Rotterdam
Nasceu em 28 de outubro de 1466. Obra principal: Elogio da Loucura. Pensamento: Para ter sabedoria as pessoas não precisam de grandes aprofundamentos filosóficos. O cristianismo tem que voltar ás suas origens, ao entendimento das verdades básicas que os evangelhos mostram. O caminho da sabedoria e da salvação é simples e passa pela esperança, pela caridade e pela fé sincera. Na liberdade está a força da vontade humana e através dela o homem pode buscar a salvação por seu próprio mérito.
Francis Fukuyama
Nasceu no dia 27 de outubro de 1952. Obra Principal: O Fim da História e o Último Homem. Pensamento: A história humana como luta entre ideologias acabou. Após a guerra fria o mundo passa a se organizar através da política, da economia e do livre mercado. O que move a história é o desejo do reconhecimento e o liberalismo democrático é a única forma de não paralisar esse desejo. As ideologias não são mais necessárias e serão substituídas pela economia. Outro elemento que movimenta a história é a ciência, que ainda não encontrou seus limites.
Leszek Kołakowski
Nasceu no dia 23 de outubro de 1927. Obra principal: As Principais Correntes do Marxismo. Pensamento: As religiões que se intrometerem na política, serão julgadas com critérios políticos. O amor é desprovido de memória e está totalmente voltado para o presente. A história serve para saber quem somos. O marxismo é a maior fantasia da nossa época. Os benefícios e os horrores estão inseparavelmente ligados tanto no progresso como no tradicionalismo. Filósofo sério é aquele que suspeita ser um charlatão. O passado preenche toda nossa existência.
John Dewey
Nasceu em 20 de outubro de 1859. Obra principal: Experiência e Natureza. Pensamento: O conhecimento é uma evolução social e o indivíduo somente passa a ter significado quando faz parte de uma sociedade. É a experiência da pessoa que traz novas ideias para a sociedade. O conhecimento não pode ser transmitido como algo acabado, pois tem que ser entendido como uma capacidade da pessoa enquanto cidadã.

Como referenciar: "Filósofo do Dia - Imagens filosóficas" em Só Filosofia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2020. Consultado em 25/11/2020 às 01:55. Disponível na Internet em http://filosofia.com.br/imagens_lista.php?pg=0&categoria=Fil%C3%B3sofo%20do%20Dia